MuBE Virtual > Dados > Ver
Banco de Dados de Esculturas Brasileiras
   
Beijo Eterno
Publicada por Antonio Marin Jr

Autor da Escultura:
Willian Zadig

Data de Inauguração:


Cidade:
São Paulo

Estado:
Acre

Endereço:
Largo São Francisco, 2-6 - Sé, São Paulo - SP, 01005-010, Brasil


ver mapa completo


Imagens:

#phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/02529D0F3E5B03A10AA3B70AFE36A8E1.JPG  

Autor das fotos:
Antonio Marin Jr

Motivo de sua criação:


Histórico da obra e/ou do autor:

O Beijo Eterno Ou, O Idílio Proibido, como queiram alguns. É uma das obras de arte do escultor Willian Zadig, exposta em local público, que mais gerou polêmica e preconceitos e, inclusive, mudanças de local. Hoje, a obra está exposta no Largo São Francisco, em frente à Faculdade de Direito. Em 1920, por iniciativa dos alunos daquela Faculdade, foi encomendada ao escultor, para homenagear Olavo Bilac, a obra de arte, que foi entregue em 1922 e instalada, inicialmente, à Rua Minas Gerais. A obra recebeu inúmeras críticas dos modernistas, por se tratar de uma grande mistura de personagens encontrados na poesia de Olavo Bilac. Em 1936, foi desmontada e transferida para o depósito da Prefeitura de São Paulo. A escultura é representada por um francês sem vestimentas, abraçando uma índia brasileira. O casal está se beijando apaixonadamente. , em 1956, o prefeito Jânio Quadros mandou que se instalasse a obra no Largo do Cambuci. A escultura durou apenas 24 horas no local, pois os moradores do bairro, diante de tamanha obscenidade, solicitaram que se retirasse aquela imoralidade do Largo. O Beijo Eterno voltou ao depósito, onde ficou guardado por 10 anos. Em 1966, a Prefeitura de São Paulo voltou a instalar a obra em via pública, porém, na entrada do túnel Nove de Julho. Ali pouco permaneceu. Os moradores da tão nobre área escandalizaram-se com aquilo que chamavam de Pouca Vergonha. Antes que a sina do depósito fosse novamente cumprida, os estudantes do Largo São Francisco resolveram seqüestrar a obra e levá-la ao jardim em frente à Faculdade de Direito, sendo reinaugurada pelo então prefeito Faria Lima. Enfim, O Beijo Eterno, escultura tão polêmica, está em seu devido lugar. Lugar este onde a obra deveria ter sido instalada inicialmente e de onde nunca deve ser tirada. Fonte: www.saopaulominhacidade.com.br/historia/ver/1737/Polemica...



Observações:


Materiais:
Bronze

Natureza:
Escultura

Faça seu login para comentar.

Comentários:



Últimas Atualizações

Mantenedores
Assessoria
MCAtrês