Updates from July, 2014 Toggle Comment Threads | Keyboard Shortcuts

  • MuBE Virtual 15:09 on 01/07/2014 Permalink | Reply
    Tags: anish kapoor, , museu nacional de belas artes, osgemeos,   

    Museu quer expor obras apreendidas no Rio 

    Conjunto de 18 esculturas e pinturas está avaliado em R$ 10 milhões

    O Museu Nacional de Belas Artes quer expor ao público ainda este ano as 18 obras de arte apreendidas pela Receita Federal na alfândega do Porto do Rio.  Entre os quadros e esculturas, avaliados em R$ 10 milhões no total, há trabalhos de artistas brasileiros, como OsGemeos e Jorge Eduardo Guinle Filho, e também estrangeiros, como Anish Kapoor e Antony Gormley.Os quadros e esculturas foram descobertos por agentes da Receita dentro de contêineres provenientes dos EUA.
    As obras vinham misturadas às mudanças de brasileiros que estavam voltando ao País. Segundo a Receita, alguns eram cooptados nos EUA para declararem quadros, esculturas e também outras mercadorias como parte de sua bagagem, que é isenta de tributos.
    Na mudança de um amanicure brasileira, que morou por 21 anos nos EUA, foram encontradas as duas peças mais caras: uma do brasileiro Sergio Camargo, avaliada em US$ 2 milhões, e a outra do indiano/britânico Anish Kapoor. Avaliada em US$ 1 milhão, a obra veio declarada como “antena parabólica”, no contêiner.

    Obra de Sérgio Camargo

    Obra de Sérgio Camargo

    Também houve casos, segundo a Receita, em que o viajante tinha bens inseridos na bagagem sem tomar conhecimento. Ao Fantástico, da TV Globo, a manicure afirmou não saber que as esculturas estavam no contêiner que trazia sua mudança de volta ao Brasil. Questionada desde a manhã de ontem pelo Estado, a Receita Federal não informou as identidades de quem estaria por trás dos contrabandos e se tratava-se de um grupo organizado. Esclareceu somente que as obras foram adquiridas em leilões e galerias internacionais e que está investigando, além da sonegação fiscal,
    a possibilidade de ocorrência do crime de lavagem de dinheiro”. Além das obras de arte, foram apreendidas também 17 toneladas de mercadorias como móveis, eletrodomésticos e equipamentos esportivos.
    Exposição. As 18 obras estão em processo de doação para o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no centro do Rio. “Esperamos que o processo seja concluído até o fim de julho. Ainda este ano, nossa ideia é fazer uma exposição provisória com as peças, todas juntas, que depois serão incorporadas ao nosso circuito expositivo permanente”, disse a diretora do MNBA, Monica Xexéo. “É um conjunto pequeno, mas extremamente expressivo, de extrema relevância nacional e internacional. Há trabalhos de sete brasileiros: além de Sergio Camargo, OsGemeos e Jorge Guinle, Juarez Machado, Beatriz Milhazes, Daniel Senise e Cildo Meireles.
    Os artistas estrangeiros são, além de Kapoor e Gormley, o chileno Ivan Navarro, os franceses François-Xavier Lalanne e Niki de Saint Phalle, o colombiano Edgar Negret, o argentino Miguel Angel Rios, o italiano Michelangelo Pistoletto, a norte-americana Barbara Kruger, o húngaro Victor Vasarely e o escocês Callum Innes.
    Em setembro, chamados pela Receita, museólogos e historiadores do MNBA fizeram a primeira vistoria às obras encontradas nos contêineres; constatada a autenticidade das peças, elas foram encaminhadas em 30 de abril ao museu para serem mais bem armazenadas.
    “Pela primeira vez, uma peça do Anish Kapoor, por exemplo, será exposta ao público como patrimônio do governo brasileiro”, disse a coordenadora técnica do MNBA, uma das responsáveis por inspecionar as obras logo que descobertas no Porto, Daniela Matera. Não é a primeira vez que uma obra apreendida pela Receita é doada ao MNBA. Em 2006,  após ser apreendida no Porto de Santos, a tela “O Caçador de Passarinhos”, de Cândido Portinari, passou a integrar a exposição do museu.

    TIAGO ROGERO. “Museu quer expor obras apreendidas no Rio”. Jornal O Estado de São Paulo, 01 de julho de 2014.

     
  • MuBE Virtual 15:46 on 06/05/2014 Permalink | Reply
    Tags: davi, florença, michelangelo,   

    Estudo detecta rachaduras em escultura de Michelangelo 

    A escultura Davi, de Michelangelo, apresenta pequena rachaduras na parte inferior de suas pernas por causa de sua própria inclinação, o que pode colocar em risco a integridade da peça-chave do Renascimento italiano. É o que revelou estudo realizado pelo Conselho Nacional de Pesquisa da Itália em parceria com a Universidade de Florença.

    Os analistas indicam que a inclinação da obra, de 5 graus, é a causa do dano no mármore, em seus tornozelos. O estudo também observa que a escultura, com “seu inestimável valor”, foi submetida a testes frequentes ao longo dos anos e tais rachaduras são notadas desde meados do século XIX.

    Apesar de as rachaduras estarem presentes em ambas as pernas e no tronco, são apenas perceptíveis a olho nu no tornozelo esquerdo e na lateral direita do tronco. Um dos pesquisadores, Giacomo Corti, disse que que a inclinação foi causada pela falta de uniformidade do pódio no qual a escultura permaneceu entre 1504 e 1873, período em que se manteve ao ar livre em frente ao Palazzo Vecchio, em Florença.

    A escultura retrata o herói bíblico Davi, no momento em que se prepara para enfrentar Golias e é feita de mármore branco, com 4,10 metros de altura. Ela foi encomendada por Michelangelo, encomendado pela Opera del Duomo, responsável pela Catedral de Florença. Nos últimos anos Davi é objeto de várias limpezas e análises, além de ter a propriedade disputada pelo governo da Itália e a Catedral. (Com informações da EFE)

    “Estudo detecta rachaduras em escultura de Michelangelo”. Jornal O Estado de São Paulo, 01 de maio de 2014.

    Imagem: Site Cabeça de Cuia

     
  • MuBE Virtual 13:46 on 27/01/2014 Permalink | Reply
    Tags: Andre Prinsloo, coelho, , Nelson Mandela   

    Governo sul-africano se irrita com coelho em escultura de Mandela 

    JOHANESBURGO – Um coelho de bronze dentro da orelha de uma estátua do líder antiapartheid Nelson Mandela está provocando debate na Africa do Sul.

    O governo ordenou aos escultores que retirem imediatamente o animal da obra inaugurada após a morte de Mandela, no centro de Pretória, enquanto vários sul-africanos defendem a presença do simpático roedor na entrada do ouvido do herói nacional.

    “Coelho” na língua afrikaans – falada originalmente por colonos holandeses – é “haas”, que também significa “rapidez”. Os escultores colocaram o animal para reclamar que foram obrigados a fazer rapidamente a estátua de nove metros de Mandela, que desde o dia do enterro do ex-presidente – 16 de dezembro – virou atração em uma praça cercada por prédios do governo, na capital.

    À rede BBC, os dois responsáveis pela estátua negaram que o coelho seja ofensivo e pediram desculpas se a família Mandela ou o governo de Pretória se incomodaram com o bichinho. Eles afirmam que, em vez disso, o animal é uma forma de deixar registrada a marca dos dois, depois que eles foram proibidos de colocar suas assinaturas na calça do ex-presidente sul-africano e obrigados a finalizar a obra em curtíssimo espaço de tempo.

    Só é possível ver o coelho com binóculos, justificou um dos artistas, Andre Prinsloo, dizendo que eles não quiseram retirar nada da obra. “Antes de erguermos a estátua, muita gente viu ela e ninguém nem reparou”, disse.

    Um porta-voz do governo criticou duramente os escultores, dizendo que é preciso remover o coelho “para restaurar a dignidade da estátua”. “Não achamos que isso é apropriado, pois Mandela nunca teve um coelho na orelha”, disse Mogomotsi Mogodiri, do Departamento de Arte e Cultura. Resta agora definir o dia da remoção.

    Mandela é comumente chamado de “pai dos sul-africanos”, uma figura cuja liderança – decisiva para enterrar as leis raciais que vigoraram até os anos 90 na África do Sul – atravessou clivagens raciais e sociais.

     

    Fontes:

    “Governo sul-africano se irrita com coelho em escultura de Mandela”. Jornal O Estado de São Paulo,  23 de janeiro de 2014. Página consultada em 27 de janeiro de 2014. 

     
  • MuBE Virtual 14:43 on 03/07/2012 Permalink | Reply  

    Escultura em Sevilla, Espanha 

    Em uma região degradada de Sevilla, na Espanha, resolveram apostar na Arte para trazer novos ares ao bairro. Há cerca de 3 anos, foi inaugurada uma escultura bastante inovadora e interativa: além de possuir um formato bem orgânico e moderno, o público pode subir até o seu topo por um elevador e caminhar por toda sua extensão, tendo assim também um mirante de 360º de toda a cidade.

    Confira as fotos dessa colossal escultura!

     
    (Informações e fotos: Tatiana Travisani)
     
  • MuBE Virtual 16:53 on 11/04/2012 Permalink | Reply  

    Patrimônio em debate 

    Uma escultura encontrada por acaso pela equipe do jornal O Estado de S. Paulo em Santiago do Chile tem causado furor entre especialistas de arte. Isso porque a obra, após análises preliminares, teria sido atribuída ao maior mestre do barroco brasileiro: Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

    A imagem de madeira representa o santo católico San Pedro Pascual e se encontra no pequeno Museo Merced. Embora seja de suposta autoria de um artista peruano, ela carrega grande semelhança com as obras de Aleijadinho – em especial no que diz respeito aos chamados estilemas (detalhes que funcionam como uma assinatura do autor na escultura).

    Desde a descoberta no mês de março, diversas hipóteses foram levantadas, entre elas a possibilidade de a peça ser uma fusão de esculturas diferentes, inclusive do celebrado artista mineiro, mas a grande questão ainda reside na legitimidade das obras de arte através do tempo.

    Originais de famosos pintores e escultores tendem a adquirir seu valor material por conta de valores abstratos e subjetivos, atribuídos por pessoas ou instituições que legitimem tais manifestações artísticas. São famosas as histórias de grandes gênios da arte que jamais receberam em vida o devido reconhecimento por seu trabalho.

    A autenticidade de uma obra, portanto, talvez tenha menos importância do que o impacto por ela causado na sociedade ao longo dos anos. Trata-se de uma soma de características que concedem a um objeto a sua “aura”. Nesse sentido, tamanha foi a força com que Aleijadinho arrebatou a arte escultórica brasileira, que a mera possibilidade de um novo exemplar de seu trabalho levanta debates entre admiradores e críticos.

    A atemporalidade – esse sim é o maior estilema das esculturas de Antonio Francisco Lisboa.

    (Texto: Katia Kreutz) (Imagem: Jotabê Medeiros/AE)

     
  • MuBE Virtual 16:30 on 07/02/2012 Permalink | Reply
    Tags: , brumadinho, , inhotim, Kapoor   

    Brasil terá obra de Kapoor 

    “A madman’s dream” (o sonho de um homem louco)”. Foi assim que Anish Kapoor, um dos mais cobiçados artistas da atualidade, definiu, ontem, em conversa com a coluna, o museu a céu aberto que é Inhotim. Bem-humorado e simpático, ponderou jamais ter visto nada parecido no mundo inteiro. “A natureza se integra com as obras de maneira inspiradora. Comparo Bernardo Paz a Fitzcarraldo e sua luta na selva”, observou, referindo-se ao famoso filme de Warner Herzog, dos anos 80, sobre a vida desbravadora e infernal do empresário Brian Sweeney Fitzgeral no final do século 19 – que sonhava erguer um teatro de ópera na Amazônia Peruana.

    Pela primeira vez no Brasil, o escultor indiano veio só para conhecer o projeto, em Brumadinho. E definir a instalação que montará por lá. Para tanto, reuniu-se, ontem mesmo, com curadores do museu.

    Habituado a criar obras gigantescas – que podem custar até US$ 23 milhões só para ficarem de pé, como a que fez para Chicago -, Kapoor avisa: nada cobrará pelo trabalho a ser instalado em Inhotim.

    O artista Anish Kapoor e uma de suas mais famosas criações, " Cloud Gate", instalada em Chicago

    O artista Anish Kapoor e uma de suas mais famosas criações, " Cloud Gate", instalada em Chicago

    (Fonte: coluna Direto da Fonte do Caderno2, O Estado de S. Paulo. Publicado em 27 de janeiro de 2012 / Imagens: artisnotdead.blogspot.com e parsareport.blogspot.com)

     
  • MuBE Virtual 15:56 on 22/07/2011 Permalink | Reply  

    O Pai do Móbile 

    Hoje, dia 22 de julho, é o 113° aniversário do escultor Alexander Calder, o “Pai do Móbile”. Desde pequeno desenvolvia interesse pela arte, criava novos objetos e principalmente seus próprios brinquedos. Filho de uma pintora e um escultor, Calder teve  grandes  influencias de produção artística, contudo optou primeiramente pela graduação na área de engenharia, anos depois começou a desenvolver seus dons artísticos. Em 1959 visitou o Brasil e expôs parte de suas obras no Museu de Arte de São Paulo.

    O artista desenvolveu uma técnica diferenciada, a criação da escultura com movimento, em 1931, o que deu origem à produção dos Móbiles (um tipo de arte que possui movimento).

    O Google criou também um Doodle ilustrado em homenagem ao artista. Segue abaixo a imagem:

     

    (Texto: Tatiana Matteoni)

     
  • MuBE Virtual 14:44 on 29/06/2011 Permalink | Reply  

    Artista brasileira, Lygia Pape é prestigiada lá fora 

    A mostra Espaço Imantado está em cartaz no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madri (um dos mais prestigiados e dinâmicos da Europa). Projeto realizado por Manuel Borja-Villel (diretor do Museu), que tinha o desejo de realizar esta exposição desde 2008.

                                                                                                  Museu Reina Sofia- Espaço Imantado

    A exposição percorre a trajetória da artista brasileira, Lygia Pape (1927-2004) da década de 50 em diante. As obras da artista têm a ver com a materialidade do papel, a relação entre o branco e preto, poesia, fugindo aos padrões de arte da Europa e do Estados Unidos.

    Segundo Manuel Borja-Villel (diretor do Museu Reina Sofia), ao realizar uma mostra de um artista há uma revalorização do mesmo no mercado, mesmo não sendo essa a função do museu. O museu atualmente está trabalhando em um projeto que se chama Rede de Conceitualismos do Sul, que visa às praticas artísticas dos anos 70 e 80. O diretor acredita que países como Brasil e México sejam potentes na América Latina em relação a arte contemporânea. Ainda em entrevista ao jornal o Estado de são Paulo, contou que tem projetos em mente de realizar uma mostra sobre Tarsila do Amaral.

    A exposição estará em cartaz em Madri até 3 de outubro, terá continuidade em Londres ainda no final do ano, em São Paulo (na Pinacoteca do Estado, ainda sem data definida) e possivelmente em  Chicago.

    (Texto: Tatiana Matteoni) (Fonte: O Estado de São Paulo) ( Imagem: Museu Reina Sofia)

     
  • MuBE Virtual 11:40 on 06/06/2011 Permalink | Reply
    Tags: flávio de carvalho, garcia lorca, norberto bogard, poema,   

    García Lorca 

    O poeta espanhol Federico García Lorca foi homenageado ontem, dia 5 de junho (data em que completaria 113 anos) com um evento que ocorreu simultaneamente em cinco cidades do mundo. Chamada de “Às 5 nas 5″ e organizada pelo jornalista Norberto Bogard em parceria com a instituição Sonic Hoop, a homenagem incluiu a leitura de poemas de Lorca em Granada, Madri, Nova York, Havana e Buenos Aires.

    Em terras brasileiras, acompanhando essa comemoração, o MuBE Virtual anuncia que o Monumento a García Lorca, obra de Flávio de Carvalho, está em fase de aprovação junto aos órgãos competentes para obra de restauro.

    (Texto: Katia Kreutz / Imagens do Monumento a García Lorca: Companhia de Restauro)

     
  • MuBE Virtual 14:15 on 14/04/2011 Permalink | Reply
    Tags: , , michael jackson, polêmica, Von Köhler   

    Obra “Madonna and Child” causa polêmica 

    Uma estátua que recria a famosa cena de 2002 quando Michael Jackson pendurou seu filho Prince Michael II na sacada de um hotel está causando polêmica em Londres. Alguns fãs mais exaltados chegaram até a ameaçar de morte Maria von Köhler a criadora da obra chamada “Madonna and Child”.
    Para alguns fãs a escultura serve mais para denigrir do que homenagear um dos maiores artistas da era do pop.

    Von Köhler se disse surpresa com a reação causada pela sua obra que está exposta no Hackney Studio em Londres. Em especial ela se refere a quem já presumiu que seu trabalho foi feito com a intenção de negar ou ridicularizar o astro morto em 2009. A artista diz que sua intenção era a de comentar uma cena bastante conhecida divulgada por toda a imprensa. “A obra investiga a relação entre alguém com um status de ícone incomparável, a mídia e o público que seguiram o acontecimento”, completa a escultora em entrevista ao london24.com.

    (Notícia de: Vagalume) (Imagem: Vagalume)

     
c
compose new post
j
next post/next comment
k
previous post/previous comment
r
reply
e
edit
o
show/hide comments
t
go to top
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancel