Updates from November, 2010 Toggle Comment Threads | Keyboard Shortcuts

  • MuBE Virtual 14:40 on 29/11/2010 Permalink | Reply  

    Monumento aos Bandeirantes 

    Quem passa pela rotatória de acesso à cidade de Santana do Parnaíba  tem a oportunidade de conhecer um monumento peculiar que está instalado ali.

    Inaugurado em 2006, o Monumento aos Bandeirantes foi criado para comemorar os 426 anos de Santana do Parnaíba (SP).  É composto pelo total de 2 pórticos e 23 esculturas, que representam diversos personagens históricos; alguns dos homenageados são Anhanguera, Domingos Jorge Velho, Raposo Tavares e Fernão Dias. Também há Suzana Dias e André Fernandes, que fundaram o município em questão.

    O artista que concebeu tal obra é Murilo Sá Toledo, um dos grandes nomes da escultura brasileira.

    O MuBE Virtual agradece as imagens da colaboradora Beth Barone.

    (Texto: Luna Rosa Lopes) (Imagens: Beth Barone)

     
  • MuBE Virtual 16:04 on 11/11/2010 Permalink | Reply  

    MuBE Virtual no ar! 

    Pense na palavra “escultura”. Pense na palavra “monumento”. O que vem à sua mente? Do que você se lembra?

    Seres de pedra ou aço, do cipó ao mármore, da madeira ao bronze, que se misturam à multidão, ou quiçá, confundem-se com as ramagens das praças.
    O MuBE Virtual vem lhe tirar por um momento da correria dos dias, do olhar cosmopolita e apressado, para trazer sua atenção à beleza que há em nossas ruas. Porque, ainda que sem suas mãos, suas espadas ou ornamentos, as esculturas são belas desde o momento em que são concebidas pelas mãos dos homens, frutos do invento e criação, filhas da Arte que transcende os séculos e representa seu tempo. E representa mesmo: esculturas homenageiam acontecimentos históricos, eternizam figuras solenes, marcam tendências estéticas diversas.


    Cidadão e o Marco da Sé. Saberá ele que este marco simboliza o começo de uma das maiores cidades do mundo?

    (Texto: Luna Rosa Lopes) (Imagem: Tatiana Matteoni)

     
  • MuBE Virtual 15:23 on 09/11/2010 Permalink | Reply  

    Escultura revela os primeiros indícios do barroco no Brasil 

    Ao contrário do que se acredita, o berço da arte barroca brasileira pode não ser o estado de Minas Gerais, mas sim a cidade de Itu (SP). É o que indica uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, encontrada na cidade paulista. Estima-se que a peça de terracota representando a santa, de 40 cm, tenha cerca de 300 anos.
    Ela havia sido doada por um acervo particular à Secretaria de Cultura da cidade e aparentemente datava do século 19, porém a retirada de camadas de tinta revelou sua verdadeira origem.
    Segundo o pesquisador Marcelo Galvão de Souza Lima, provavelmente a autoria da escultura é de Frei Agostinho de Jesus, da primeira escola brasileira de arte sacra, por volta de 1640.

    (Texto: Katia Kreutz) (Imagem: O Estado de S. Paulo)

     
  • MuBE Virtual 15:21 on 09/11/2010 Permalink | Reply  

    Estátua de Luiz Gonzaga é uma das atrações da Feira de S. Cristóvão 

    O Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, na zona norte do Rio de Janeiro, está prestes a receber novos investimentos da prefeitura. Com a aproximação da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016, o pavilhão que abriga a famosa Feira de S. Cristóvão será finalmente renovado. Um de seus maiores símbolos é a estátua do músico Luiz Gonzaga, com o acordeão em mãos.
    A feira foi fundada em 1945, por iniciativa de migrantes nordestinos. Hoje, ela recebe até 25 mil pessoas aos fins de semana.

    (Texto: Katia Kreutz) (Imagem: O Estado de S. Paulo)

     
  • MuBE Virtual 13:04 on 05/11/2010 Permalink | Reply  

    Cemitério Municipal São Francisco de Paula – Curitiba 

    O Cemitério Municipal São Francisco de Paula foi criado em 1854. Durante sua existência, acumulou um rico acervo de esculturas, entre outras manifestações artísticas. Essas obras de arte, além de ornamentar túmulos, refletem um percurso histórico da sociedade curitibana, especialmente dos seus extratos mais elevados, bem como sinalizam uma visão muito particular acerca da existência e da morte, exprimindo-as através da arte tumular.

    Esse tipo de arte não deveria ser dissociado das manifestações artísticas mais comuns. Aqui são destacados seu mérito, seus valores históricos, artísticos e a premente necessidade de conservar os cemitérios e suas relevantes obras. Nesse particular, é necessário lembrar que eminentes artistas brasileiros, ou estrangeiros aqui radicados, debruçaram-se sobre este tema e realizaram trabalhos artísticos de altíssima qualidade.

    Assim, procuramos revelar a carência de estudos mais apurados de levantamento, catalogação e reconhecimento dessa produção visando entender o seu significado mais abrangente, todo o simbolismo empregado – signos que ela procurou expressar para a posteridade – e sua contribuição para a formação artística no Brasil.

    Além disso, essa amostra de imagens busca provocar outros interessados a acrescentar dados, prestando também uma singela homenagem a todos esses artistas desconhecidos e à sensibilidade daqueles que, procurando homenagear seus entes queridos, fomentaram esse legado artístico.

    Histórico:

    Mais conhecido como Cemitério Municipal, está localizado à Praça Padre Souto Maior, s/nº, bairro São Francisco e é o mais antigo de Curitiba. Até 1853, era chácara do Padre Agostinho Macedo de Lima, que durante 56 anos foi vigário da Catedral Metropolitana, hoje Basílica Menor de Curitiba. Com a emancipação política do Paraná, a proibição dos enterros junto às igrejas foi efetivada, daí a necessidade de estabelecer um Campo Santo para o serviço funerário da cidade. A pedra fundamental foi lançada em 1º de Dezembro de 1854, pelo primeiro Senador e Conselheiro da Província, Zacarias de Góes e Vasconcelos.

    Fonte:

    http://www.curitiba.pr.gov.br/publico/secretaria.aspx?idf=72&servico=26

    Localização:

    Praça Padre João Sotto-Maior – Bairro São Francisco, Curitiba/PR

     

    (Texto e imagens: Sergio De Simone, Arquiteto, São Paulo/SP)

     
  • MuBE Virtual 13:01 on 05/11/2010 Permalink | Reply  

    Obra de Salvador Dalí é roubada em exposição na Bélgica 

    No dia 18 de agosto de 2010, foi roubada a escultura de Salvador Dalí, Mulher com Gavetas. A obra está avaliada entre 100 e 120 mil euros. O roubo aconteceu em um sala de exposição em Brugues, no noroeste da Bélgica. As câmeras de segurança gravaram os ladrões, enquanto eles colocavam a pequena estátua dentro de uma bolsa.

    A escultura de bronze, que foi criada em 1964, tem cerca de 50 cm de largura por 30 cm de altura, e pesa aproximadamente dez quilos.

    (Texto: Joana Ribas) (Imagem: Folha Online)

     
  • MuBE Virtual 12:59 on 05/11/2010 Permalink | Reply  

    Depredação abre discussão entre Prefeitura e Academia Paulista de Letras 

    O fato de muitas pessoas não conhecerem o valor de obras públicas em nosso país vem trazendo muitos prejuízos. Atualmente, a Academia Paulista de Letras (APL) discute o que será feito com os bustos de escritores no Largo do Arouche, que sofrem com a depredação.

    Já foi sugerido que as obras sejam transferidas para a sede da entidade, mas muitos dos acadêmicos são contra. Eles afirmam que essas esculturas não foram feitas para ficarem escondidas, e acreditam que a saída seria aumentar a vigilância, além de restaurar as obras danificadas.

    A discussão já gerou muitas ideias contraditórias. Alguns defendem que, por serem obras públicas, as esculturas devem ser mantidas pela Prefeitura. Outros acreditam que, como elas foram feitas para homenagear escritores da Academia, a própria instituição deveria arcar com uma parte dessa responsabilidade.

    Em agosto, o processo de avaliação feito pela Divisão de Preservação do Patrimônio Histórico, para iniciar a remoção dos bustos da praça, foi apoiado pelo presidente da Academia, José Renato Nalini. Ele se manifesta favorável porque, já que o ideal não é possível – que a praça fosse mais bem iluminada e vigiada, com as esculturas devidamente conservadas – ao menos as obras permanecerão intactas, na sede da Academia.

    (Texto: Joana Ribas) (Imagem: Folha Online)

     
  • MuBE Virtual 12:58 on 05/11/2010 Permalink | Reply  

    Sylvester Stallone quis se auto-homenagear no Rio de Janeiro 

    O ator do filme Os Mercenários, Sylvester Stallone passou pela cidade de Mangaratiba, que fica no caminho para Angra (RJ). Em meio às filmagens de seu mais recente longa-metragem, o ator ofereceu à Prefeitura o pequeno município a quantia de 65 mil reais para que fosse construída uma estátua sua, em tamanho real.

    A imagem estava prestes a ser aprovada quando Stallone, em coletivas de imprensa, fez alguns comentários maldosos a respeito do Brasil. O prefeito de Mangaratiba, Aarão de Moura Brito Neto, colocou a decisão nas mãos do povo, por meio de um plebiscito. A resposta foi a campanha do NÃO ainda está nas ruas: “Vamos dar um cano no Rambo”.

    (Texto: Joana Ribas) (Imagem: IMDb)

     
  • MuBE Virtual 12:54 on 05/11/2010 Permalink | Reply  

    Retratos entre túmulos 

    J. de Andrade, técnico em edificações, já foi dono de escritório de arquitetura e há quatro anos decidiu se dedicar exclusivamente à fotografia. No dia 1º de janeiro deste ano, ele começou o projeto de fotografar esculturas e imagens encontradas nos cemitérios da cidade de São Paulo.

    Os locais escolhidos foram o Cemitério da Consolação, o Araçá, e o São Paulo. Foram feitas aproximadamente 4 mil fotografias, e 35 delas foram expostas na Estação Clínicas do metrô até o dia 31 de agosto de 2010.

    A exposição se chamava Requiem Aeternam Doan Eis – Dai-lhes o Repouso Eterno e foi o primeiro trabalho em preto e branco do artista. Exibir seu trabalho não trouxe nenhum lucro ao fotógrafo, que diz não ter intenção de ganhar dinheiro com algo que represente a dor das pessoas.

    (Texto: Joana Ribas) (Imagem: Blog Estadão)

     
  • MuBE Virtual 12:53 on 05/11/2010 Permalink | Reply  

    Reflexões através da imagem 

    Do dia 25 de setembro ao dia 12 de dezembro ocorre a 29ª Bienal de São Paulo que reunirá 159 artistas. Entre eles estão Nan Goldin, Steve McQueen e Harun Faroucki, que muito compartilham na forma de expressar sua arte, pois percorrem lembranças pessoais e coletivas, guerras, opressão, e a sombra do terrorismo.

    Nan Goldin, artista norte-americana, revela o universo das drogas e das prostitutas nos anos 70 e 80, em Nova York. O britânico Steve McQueen esmiúça o maior símbolo da América, filmando a Estátua da Liberdade de um helicóptero. O vídeo será transmitido na instalação Static da Bienal.

    A proposta de Chantal Akerman, filha de poloneses sobreviventes do holocausto, é a de apoderar-se do passado, retratando desconhecidos como se fossem seus parentes. O tailandês Apichatpong Weerasethakul segue o mesmo caminho, retratando jovens no noroeste de seu país, que já foi palco de terrorismo.

    O filme Je Vous Salue, Sarajevo, de Jean-Luc Godard, lembra outras guerras. “Cultura é a regra, arte é a exceção. Todos falam a regra, ninguém fala a exceção, ou ela é vivida: Srebrenica, Mostar, Sarajevo.” Sobrenica foi a cidade onde houve o maior massacre de pessoas após a Segunda Guerra Mundial.

    (Texto: Joana Ribas) (Imagem: Cartaz oficial da 29ª Bienal)

     
c
compose new post
j
next post/next comment
k
previous post/previous comment
r
reply
e
edit
o
show/hide comments
t
go to top
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancel